Especialidades

Escleroterapia com espuma densa

A escleroterapia com espuma densa é realizada por meio da injeção de um medicamento
chamado polidocanol no interior das veias, na forma de espuma. Para a fabricação desta
espuma, utilizamos uma técnica específica, em que o medicamento é misturado com o ar e
produz uma espécie de espuma densa, que é muito potente e consegue esclerosar veias mais
calibrosas. O procedimento pode ser guiado por ultrassom para o acompanhamento da dispersão
da espuma no interior da veia. Esse método pode ser usado isoladamente ou associado a outras
técnicas de tratamento.
Indicações e contraindicações
O tratamento de escleroterapia com espuma densa é indicado para varizes de médio e grosso
calibres, na tentativa de evitar uma intervenção cirúrgica. Ele pode ser realizado pela maioria
dos pacientes, ressaltando que em pessoas de pele morena o risco de manchas é maior.
Veias safenas insuficientes também podem ser tratadas com a escleroterapia com espuma densa.

Resultados
A concentração utilizada, o volume injetado e os cuidados após o tratamento são determinantes
para um bom resultado.
Este tratamento exige retornos periódicos para avaliar necessidade de drenagem de coágulos que
tendem a se formar no interior da veia tratada. Com a drenagem precoce, conseguimos
minimizar o risco de manchas, que é um inconveniente dessa técnica.
A espuma pode ser indicada para o tratamento de varizes e veias safenas insuficientes. Consiste
na injeção de um medicamento chamado polidocanol no interior das veias, na forma de espuma.
A concentração utilizada, o volume injetado e os cuidados após o tratamento são determinantes
para um bom resultado. O procedimento deve ser realizado com auxílio do aparelho de
ultrassom, para que se possa acompanhar a dispersão da espuma no interior da veia.

Nova Pelle
Entre em contato conosco