Especialidades

Câncer de mama

O câncer de mama é uma doença provocada pela multiplicação desordenada de células mamárias. O tumor pode ter desenvolvimento rápido ou crescer lentamente. 

Embora as mulheres sejam o público mais acometido (99%), os homens não estão imunes à doença.

Quais são os fatores de risco para o câncer de mama?

Além da idade (ter mais de 50 anos), alguns fatores que podem aumentar as chances de desenvolver a doença são:

Obesidade e sobrepeso após a menopausa;

Sedentarismo;

Consumo de álcool;

Exposição frequente à radiação;

Menarca (primeira menstruação) antes dos 12 anos;

Não ter tido filhos;

Primeira gravidez após os 30 anos;

Menopausa após os 55 anos;

Uso de contraceptivos hormonais;  

Reposição hormonal pós-menopausa;

Histórico familiar de câncer de ovário ou de mama, principalmente antes dos 50 anos;

Alterações genéticas.

Como prevenir o câncer de mama?

Segundo informações do Instituto Nacional de Câncer (Inca), cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados por meio de hábitos saudáveis como:

Realizar exercícios físicos;

Ter uma alimentação equilibrada;

Manter o peso corporal adequado;

Evitar o consumo de álcool;

Amamentar;

Evitar o uso de anticoncepcionais e terapias de reposição hormonal.

Como diagnosticar o câncer de mama?

O primeiro passo é que a mulher esteja bem atenta aos sinais do seu corpo, fazendo o autoexame em casa com frequência. É importante observar se há a presença de nódulos fixos nas mamas, axilas ou pescoço, vermelhidão ou alterações na pele da mama e nos mamilos ou ainda a excreção de líquidos pelos mamilos.

Diante de suspeitas, o ideal é buscar avaliação com o ginecologista, que poderá encaminhar o paciente para um mastologista. O diagnóstico pode incluir exame clínico das mamas e exames de imagem como mamografia, ultrassonografia ou ressonância magnética. Já a confirmação ocorre por meio de biópsia.

Por que o diagnóstico precoce é tão importante?

Quanto mais cedo o câncer for detectado, melhores são as chances de recuperação da doença e menos agressivo é o tratamento. 

Por isso, cuide-se, realizando seus exames de rotina periodicamente, conforme orientação médica.

Na dúvida, fale com seu ginecologista.

Nova Pelle
Entre em contato conosco